terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Angela Merkel: ''Trump quase destruiu a nova ordem mundial''

A chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu que a Nova Ordem Mundial está "sob ameaça" devido à ascensão do presidente Trump e sua mensagem patriótica de "polarização", "protecionismo" e "populismo". 

Falando no Fórum Econômico Mundial em Davos, Merkel criticou a rejeição de Trump das fronteiras abertas e do globalismo, e desdenhou o popular movimento patriótico que atualmente atravessa a Europa, os EUA, o Brasil, a Austrália e outras partes do mundo.

“Francamente falando, o país que tenho a honra de representar e onde eu sou chanceler tem dificuldades. E a polarização é algo que também vemos em nosso país, que não temos há décadas ”, disse Merkel em Davos.

Merkel atribuiu o crescente populismo e nacionalismo à crise da zona do euro e à crise migratória observada na Europa nos últimos anos, após o fluxo recorde de refugiados, mas disse que a Alemanha não se esquivará do cenário mundial.

“A Alemanha deseja ser um país que empresta sua contribuição no futuro para resolver os problemas do mundo juntos, achamos que nos isolarmos e nos isolarmos não nos levará a um bom futuro. O protecionismo não é a resposta adequada ”, disse ela.

Angela Merkel como chanceler da Alemanha abraçou a ideologia globalista ao abrir as fronteiras das nações, aceitando milhões de migrantes

Merkel foi apenas a última líder em Davos a criticar uma postura protecionista e isolacionista em relação aos problemas do mundo. Tais comentários parecem ser dirigidos ao presidente Donald Trump, que adotou uma postura “América Primeiro” sem remorso em suas políticas econômicas e externas.

Líderes populistas que apóiam Trump foram eleitos na Austrália, Brasil, Itália, Polônia e muitos outros países no ano passado, como o nacionalismo se mostra popular com cidadãos eleitores frustrados com décadas de políticas neoliberais implementadas por governos determinados a se aproximarem de um mercado internacional. aliança com fronteiras abertas.

'Um governo mundial'

Em contraste, Merkel disse que a resposta aos problemas do mundo era encontrar soluções globais em vez de um "curso protecionista unilateral".

Imediatamente após bater Donald Trump e sua presidência patriótica, Merkel elogiou as Nações Unidas, descrevendo a organização internacional como uma “solução multilateral e cooperativa” para o problema da liderança global, e acrescentou que uma “resposta multilateral” ajudou a resolver o problema global. crise financeira de 2008-2009.