sábado, 1 de dezembro de 2018

Ele encontrou esse ser estranho na sua cama… Poucos meses depois transformou-se no mais adorável dos animais!

Era um dia como muitos outros, quando Michael encontrou algo incomum na sua cama… 

A mãe decidira fazer o ninho daqueles pequeninos ali, no colchão, com pequenos paus e pinhos secos.

Mas ela não voltou mais para cuidar deles. Em vão Michael e Christina tentaram tentaram encontrar a sua mãe, mas não a encontraram. Um dos dois filhos, infelizmente, não conseguiu sobreviver e os dois decidiram fazer algo para salvar o outro.

Esta é a sua história, a história de um esquilinho que conquistou os corações desses dois jovens.

Desde o início, Michael e Christina pensaram numa maneira de alimentar o pequeno esquilo, tão pequeno que entrou na casca de uma noz.

A única coisa em que pensaram era dar-lhe leite através de uma pequena pipeta ligada a uma seringa, e o filhote começou a comer e a crescer.

Michael e Christina decidiram adotar o esquilo, que descobriram ser uma fêmea, e chamaram de Pollicina.

Quando ela cresceu, os dois jovens tentaram reinserí-la em seu habitat natural, mas Pollicina não queria saber. Ela não gosta de estar com outros esquilos, não gosta de escalar, pular ou correr, ela gosta de estar com seus dois pais adotivos. De fato, os dois frequentemente se perguntam o que a esquilinha pensa que é, certamente não um animal.

Pollicina decidiu ficar com eles, que cuidaram dela desde o nascimento, para ela são seus pais e está feliz com Michael e Christina.

A história dessa família um tanto peculiar pode parecer um pouco estranha: como seria possível um animal selvagem, como o esquilo, se recusar a viver entre as árvores e coisas assim? Mas o caso de Pollicina é diferente e especial. Talvez, a fronteira entre homem e animal não seja tão clara quanto possa parecer. Talvez seja um limite diferente do que imaginamos e talvez um dia possamos entendê-lo.