quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

''As gordinhas deixam os homens mais felizes'' Diz estudo

Nos termos de amor e gostos, não há regra escrita. É claro que isso não se refere a quando a ciência coloca seu foco nas relações sociais entre um homem e uma mulher, uma vez que essa disciplina do conhecimento sempre parece fornecer conclusões metodológicas marcantes.

Este é o caso de um estudo recente e recente de pesquisadores da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM), que determinou através de ferramentas de investigação que as mulheres com excesso de peso, tamanho grande e características proeminentes tornam os homens mais felizes.

O estudo foi realizado pelos médicos Filemón Alvarado e Edgardo Morales, que submeteram vários homens de diferentes idades ao escrutínio.

Os cientistas chegaram a essa conclusão testando a tese de que as mulheres com mais peso têm menos problemas reprodutivos, em comparação com aquelas que têm problemas alimentares.

O estudo, assinado em nome do Departamento de Psicologia da UNAM, revelou que as mulheres com sobrepeso têm a capacidade de tornar seus parceiros até 10 vezes mais felizes, pois tendem a desenvolver habilidades de comunicação superiores, senso de humor e empatia.

Além disso, o estudo mostrou que homens com namoradas magras ou com dietas balanceadas tendem a ser mais reservados, menos amigáveis ​​e expressam menos suas emoções, o que também é endossado por outro estudo que a apóia.

Uma investigação realizada na Universidade de St. Andrews, na Escócia, revelou que os homens que sofrem de estresse consideram as mulheres com excesso de peso muito mais atraentes do que as mulheres magras.

A conclusão veio do estudo a que foram submetidos os cadetes do exército escocês, que foram separados em dois grupos. Alguns passaram por um treinamento árduo, enquanto os segundos foram liberados de pressão e exercício.

Os pesquisadores descobriram que, em um nível mais alto de estresse, os homens preferiam mulheres com mais peso, porque o aspecto psicológico de estar sob pressão e estresse exigia a tendência de ter um parceiro com maior volume e massa corporal.