quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Edward Snowden afirma: ''O aquecimento Global é uma farsa criada pela CIA''

Moscou | Edward Snowden, denunciante da Agência Nacional de Segurança, fez uma nova afirmação controversa ontem durante uma entrevista, dizendo que ele possui algumas informações confidenciais provando que a CIA está por trás da "teoria do aquecimento global".


Snowden, que vive como fugitivo na Rússia depois de vazar documentos sobre os programas de vigilância da NSA, fez algumas alegações anteriormente não relatadas durante uma entrevista com o Moscow Tribune .

Snowden diz que a CIA primeiro orquestrou a propagação do “susto do aquecimento global” nos anos 50, a fim de desviar a atenção da comunidade científica dos perigos da corrida armamentista e reforçar seu controle sobre os institutos de pesquisa.

"Tenho documentos que mostram que a CIA inventou a coisa toda", afirma Edward Snowden. “O aquecimento global foi inventado para assustar as pessoas e desviar sua atenção de outros perigos feitos pelo homem, como as armas nucleares. A CIA doou milhões de dólares a qualquer cientista que confirmasse a teoria, e muitos cientistas inescrupulosos fizeram o que lhes disseram para conseguir o dinheiro. Agora, há tantos dados falsos para confirmar que o aquecimento global "existe", que eles realmente convenceram a todos que era real ".

Snowden diz que os documentos que provam que a CIA inventou a coisa toda serão integralmente reproduzidos em seu novo livro, previsto para ser lançado em setembro de 2020.

Edward Snowden foi contratado por um contratado da NSA em 2013, após um emprego anterior na Dell e na CIA.

No mês de junho do mesmo ano, ele revelou milhares de documentos classificados da NSA para jornalistas.

Ele também afirma estar na posse de documentos da CIA, ligando a agência a muitas atividades ilegais.

O governo dos EUA entrou com acusações de espionagem contra ele pouco depois de suas revelações serem tornadas públicas.

Ele vive sob asilo em Moscou, depois de fugir dos EUA para Hong Kong após os vazamentos.

Em 28 de julho de 2015, a Casa Branca rejeitou a petição “Nós o Povo”, de quase 168.000 signatários, para perdoá-lo.

Desde então, ele ameaçou liberar outros documentos em sua posse, o que ele alega seria muito mais embaraçoso para o governo americano do que os que ele já tornou público.