sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

"João Paulo II teve uma visão profética da invasão islâmica para a Europa antes de morrer"

O falecido pontífice tinha uma visão profética em que os europeus seriam invadidos pelos islamitas, garantiu um ex-confidente do papa João Paulo II.

Mauro Longhi estava sempre com o Papa João Paulo II em passeios antes de sua ordenação, eu enviar um grande grupo na capela dos Santos Pedro e Paulo em outubro passado, disse o ex-papa era um místico que teve visões proféticas e supostamente " diálogo "com a Virgem Maria.

Em sua conferência do eremitério, Longhi contou a conversa que teve com o papa João Paulo II em março de 2003, quando o papa insistiu com ele sobre a visão perturbadora que ele tinha sobre o futuro da Europa.

"O Papa explicou-me: 'Diga-lhes para encontrar na igreja do terceiro milênio, vejo a Igreja atingida por um mortal, profunda e dolorosa que este milênio ferida', referindo-se ao comunismo e do totalitarismo nazista. "Chama-se islamismo, o Irã invadirá a Europa, hordas virão do oeste para o leste". Depois contaram cada país um a um: o Marrocos até a Líbia e o Egito ao Oriente ", lembrou Longhi, disse o Catholic Herald.

"O santo padre acrescentou:" Eles invadirão a Europa, já que será um porão, de antigas relíquias, sombras, teias de aranha e herança de família. A igreja do terceiro milênio tem que pela invasão. Não com os exércitos porque isso não é suficiente, mas sim com a fé que você viveu com integridade ", acrescentou o padre.

Longhi para 1995 foi ordenado de acordo com o público na capela que o falecido papa costumava esgueirar-se em Roma com um carro modesto e ficar em uma casa do Opus Dei nas montanhas de Abruzzo.

O padre recodo que Andrzej Deskur, cardeal, que foi um dos amigos mais chegados do falecido Papa, revelou que o papa João Paulo II tinha "o dom das visões". À noite, o papa ajoelhou-se diante do tabernáculo na capela da casa e ouviu as conversas com Deus e a Virgem Maria de acordo com Longhi.

As visões do ex-papa começaram na primeira missa em 2 de novembro de 1946 na cripta de São Leonardo, na Catedral de Wawel, em Cracóvia, na Polônia.

Naquela conferência de Longhi, ele contou um momento em que o papa repreendeu o ex-presidente George W. Bush por sacrificar toda a "dignidade humana" pela segurança depois que ele mobilizou todas as forças militares no Afeganistão depois do 11 de setembro.

Papa João Paulo II, que nasceu Karol Wojtyla foi reconhecida por promover o diálogo inter-religioso entre católicos e muçulmanos, foi também o primeiro papa conhecida a trilhar o Mesquita, pela primeira vez em 2001.

O falecido pontífice foi criticado pelos tradicionalistas depois de ser visto por fotos beijando o Alcorão. No entanto, em sua encíclica Ecclesia in Europe de 2003, o papa implorou aos cristãos que formassem um "conhecimento objetivo do Islã". Observando que os cristãos devem levar em conta a "lacuna notável" entre a cultura européia que, segundo ele, está enraizada no cristianismo e no pensamento muçulmano.