quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Documentário da BBC prova que Jesus era um monge budista chamado Issa

A história de vida de Jesus, uma das pessoas mais famosas que já se disse ter tido muitos buracos, já que entre os séculos 13 e 29 não há registro bíblico do paradeiro de Jesus na Palestina.

No entanto, de acordo com um documentário (veja no final do artigo) pela BBC, Jesus era, de fato, um monge budista e não foi crucificado.

Documentar a história reveladora de Jesus encontrada no mosteiro budista
Um médico russo com o nome de Nicolas Notovitch estava viajando pela Índia, Tibete e Afeganistão durante o século 19 e foi dito que ele passou um tempo em um mosteiro no Tibete com o nome do Mosteiro Budista Tibetano, que estava em Hemis, em Leh na Índia. Dizem que ele traduziu um documento que conta a história de Jesus, também conhecido como Issa, que significa filho de Deus. A história dizia que ele havia nascido durante o primeiro século em uma família que era pobre em Israel.

Os tutores do mosteiro o chamavam de filho de Deus de 13 a 29 anos. Dizia-se que Notovitch passou a traduzir 200 dos versos dos 224 que estavam no documento.

Um Lama explicou a Notovitch o alcance, junto com o nível de iluminação, que Jesus conseguiu alcançar durante seu tempo no mosteiro e este foi dito ser um nível extremo. O Lama disse que Jesus era um grande profeta e foi o primeiro a seguir aos vinte e dois de Buda. Ele passou a dizer que ele era maior do que todos os Dalai Lamas enquanto constituía a espiritualidade do Senhor.

Três homens sábios poderiam ter sido budistas à procura de reencarnação de lama

A descoberta e tradução dos documentos no mosteiro estão de acordo com o que ficou conhecido como Os Anos Perdidos de Jesus. Após a morte de um homem santo ou grande budista, os homens sábios foram consultados as estrelas e, em seguida, tirou uma longa viagem com a esperança de encontrar o bebê que eles acreditavam que era a reencarnação do Lama. Quando essa criança atinge uma idade em que pode ser tirada de seus pais, é levada e depois educada na fé do budismo. Muitos especialistas concordam que esta foi a base da origem da história sobre os três sábios que visitaram o estábulo em Belém na noite em que Jesus nasceu. Existe a crença de que Jesus foi para a Índia com os sábios quando tinha 13 anos e foi criado como budista.

Um dos principais membros do mosteiro do Lama disse a uma agência de notícias que Jesus visitou a Índia para estudar o budismo e se inspirou na sabedoria e leis de Buda. Os versos foram documentados por muitas pessoas desde então, incluindo Nicholas Roerich, que em 1952 registrou as contas do tempo que Jesus passou no mosteiro.

Jesus foi excomungado e fugiu para o Himalaia

Também foi dito que Jesus passou algum tempo ensinando em muitas cidades sagradas, incluindo Jagannath, Rajagriha e Benares, e isso levou os brâmanes a excomungá-lo, e então Jesus teve que fugir e foi para o Himalaia continuar o estudo do budismo. Um estudioso alemão, Holger Kersten, escreveu sobre os primeiros anos de Jesus e disse que Jesus havia se estabelecido em Sindh entre os arianos e que queria aperfeiçoar-se.

A BBC fez um documentário intitulado "Jesus era um monge budista", e olha para a teoria de que Jesus não foi crucificado e quando ele estava em seus 30 anos, ele voltou para o lugar que amava.

O documentário disse que Jesus escapou da morte e ficou no Afeganistão com colonos judeus. Diz-se que a população local confirmou o fato de que Jesus passara muitos anos no vale da Caxemira e permaneceu lá até falecer aos 80 anos de idade. Se Jesus passou 16 anos quando era jovem na região, juntamente com os últimos 45 anos de sua vida, ele teria gasto cerca de 61 anos no total na Índia, no Tibete e nas regiões próximas. Há moradores locais que acreditam que Jesus foi de fato colocado no santuário de Roza Bal em Srinagar, na Caxemira.

Assista ao documentário sobre Jesus