sábado, 16 de março de 2019

Pastor que fingiu ressuscitar um homem morto é processado por funerárias na África

A disseminação de novas "teologias" no continente africano causou uma explosão de denominações sem ligação doutrinal com instituições cristãs históricas. Desta forma, vários ensinamentos estranhos à Bíblia ganharam repercussão, muitos deles baseados em promessas de prosperidade financeira e curas milagrosas.

Um caso recente que exemplifica esta realidade foi liderado pelo pastor Alph Lukau, que é o fundador e superintendente geral da Alleluia Ministries International. Ele aparece em um vídeo onde, supostamente, um homem morto teria ressuscitado. 

"Levante-se", diz Alph para o homem deitado em um caixão, que então se levanta com um olhar de horror, para a excitação do público presente. A cena que vendeu na Internet, no entanto, foi fingida, de acordo com relatos de três casas funerárias locais.

A Comissão para a Promoção e Proteção das Comunidades Culturais, Religiosas e Lingüísticas Minorias da África do Sul, disse a um canal estatal que tal prática existe, uma vez que visa explorar as necessidades da população, segundo o G1.

Por seu turno, as empresas funerárias Kingdom Blue, Kings & Queens e Black Phoenix disseram que foram enganadas de várias maneiras para que a farsa fosse específica. "Supostos membros da família do falecido" disseram à Kings & Queens que eles tinham "um conflito com outro prestador de serviços funerários". 

Os conflitos fingidos, aparentemente, serviriam para convencer a promotoria com o falso serviço fúnebre.

A BBC, Alleluia Ministries International não respondeu. No entanto, a igreja tentou explicar, dizendo que os "mortos", na verdade, já estavam vivos quando ele foi levado para o caixão, e que o Pastor Alph tinha apenas "completado um milagre que Deus já havia realizado".

No site da igreja, Alpha se apresenta como "um estudioso da Bíblia e um renomado palestrante internacional que ministra em diferentes plataformas ao redor do mundo. Através do seu ministério, as pessoas são salvas, curadas e libertadas ".