terça-feira, 2 de abril de 2019

Funcionário do McDonald's é demitido por expor máquina de sorvete suja

Um funcionário do McDonald's de Laplace, Louisiana, foi demitido após expor algumas das coisas grosseiras que acontecem nos bastidores do restaurante. Tudo começou com uma postagem no Twitter compartilhada por Nick, o ex-funcionário. 

O post continha fotos mostrando o quão sujo estava o interior da máquina de sorvete em sua loja. O incidente aconteceu em 2017, mas é uma história de advertência para quem come no McDonald's.
As fotos mostravam o que parecia ser uma lama gosmenta preta, e rapidamente se tornaram virais pela internet.

Nick disse que os gerentes deveriam limpar as máquinas, mas em todo o seu tempo de trabalho lá, ele não viu que fosse limpo uma vez.

"Isso saiu da máquina de sorvete do McDonald's no caso de você estar se perguntando ... " sua legenda dizia.

O McDonald's foi rápido em lembrar a todos que essa parte da máquina não toca o sorvete, no entanto, esse tipo de visão não deve ser vista em nenhum lugar perto de comida.

Outros funcionários começaram a tirar fotos das máquinas em seus locais, mostrando-as em condições semelhantes.

“ Às vezes meus colegas deixavam a comida e colocavam de volta no coque. Eu já vi isso acontecer várias vezes ”, disse Nick.

Ele até deu um passo adiante e começou a twittar fotos de como a comida fica antes de ser cozinhada e servida.

“ Já que estou expondo o McDonald's, eu também posso mostrar a vocês o que vocês realmente estão comendo… acabaram de congelar ”, dizia sua legenda.

De acordo com uma pesquisa da Dateline  sobre os restaurantes de fast food mais populares do país, “ os 100 McDonald's que vimos chegaram com um total de 136 violações críticas. Alguns não tinham um manipulador de alimentos treinado e certificado no trabalho, exigido por lei em muitos estados . ”

Uma investigação da BBC publicada em 2017 descobriu que o gelo em locais de fast food como o McDonald's está contaminado com bactérias. Enquanto o McDonald's foi encontrado para ter gelo sujo na investigação, KFC e Burger King foram muito piores.

Um estudo recentemente conduzido por pesquisadores da Universidade Metropolitana de Londres descobriu que telas sensíveis ao toque usadas por clientes em vários locais do McDonald's estavam cobertas de bactérias fecais. O Dr. Paul Matawele, um dos principais pesquisadores do estudo, explicou que a propagação dessa bactéria pode levar a infecções graves.

“Ficamos surpresos com o quanto as bactérias intestinais e fecais que existiam nas máquinas touchscreen. Isso causa o tipo de infecção que as pessoas pegam nos hospitais. Por exemplo, Enterococcus faecalis faz parte da flora do trato gastrointestinal de humanos saudáveis ​​e outros mamíferos. É notório nos hospitais por causar infecções adquiridas no hospital ”, disse Matawele.

Os pesquisadores testaram oito locais diferentes do McDonalds em toda a área de Londres e Birmingham, e cada localidade tinha sua própria coleção de diferentes vírus e bactérias, da listeria em um local ao Staphylococcus em outro.

Ver o Staphylococcus nessas máquinas é preocupante, porque é muito contagiante. Começa ao redor do nariz das pessoas , se elas tocam o nariz delas com os dedos e depois as transferem para a tela sensível ao toque que outra pessoa consegue, e se elas têm um corte aberto no qual elas entram, então pode ser perigoso. Há muitas preocupações no momento em que o estafilococo está se tornando resistente aos antibióticos. No entanto, ainda é realmente perigoso em lugares como a África, onde pode causar choque tóxico ”, disse o Dr. Matawele.

"A Listeria é outra bactéria rara que ficamos chocados ao encontrar em máquinas touchscreen, já que, novamente, isso pode ser muito contagioso e um problema para aqueles com um sistema imunológico fraco", acrescentou Matawele.

Entretanto, a grande maioria das amostras testadas positivas para traços da bactéria Proteus.

Felizmente, o fast food parece estar caindo em desuso, especialmente entre os jovens que buscam alternativas mais saudáveis.

Para iniciar o ano de 2015, a empresa fechou pelo menos 700 lojas. Nos primeiros 3 meses daquele ano, o McDonald's teve uma queda de 2,3% nas vendas e uma queda de 28% na receita operacional.

Na época, o CEO da empresa, Steve Easterbrook, disse que mudanças imensas seriam necessárias para melhorar a reputação do McDonald's.

“Eu acho que há uma fome e um interesse em nossos negócios para abraçar a mudança. A equipe de gerenciamento do McDonald's está fortemente focada em agir mais rapidamente para atender melhor às necessidades atuais dos consumidores, às expectativas e ao mercado competitivo ”,  disse Easterbrook.