quinta-feira, 11 de abril de 2019

Professora de Estudos de Gênero afirma: ''O tempo é racista''

Brittney Cooper, professora de esquerda de estudos sobre mulheres e gênero na Universidade Rutgers, diz que o tempo é racista.

Não, isso não é sátira!

Durante uma entrevista com a afiliada da NPR, WSIU-FM, Cooper afirmou que os negros têm uma reputação de estar atrasados, portanto o tempo em si é “propriedade” dos brancos.

Normalmente, falamos sobre raça em termos de questões em preto e branco. Nas comunidades afro-americanas de onde venho, temos uma piada multigeracional de longa data sobre o que chamamos de tempo de CP ou tempo de pessoas de cor. Agora, não nos referimos mais aos afro-americanos como coloridos. Mas esta piada de longa data sobre o nosso atraso perpétuo para a igreja, para churrascos, para eventos familiares e até para os nossos próprios funerais permanece. Eu pessoalmente sou um defensor do tempo. É quase como se minha mãe, quando eu estava crescendo, dissesse, não seríamos aqueles negros. Então, normalmente chegamos aos eventos com 30 minutos de antecedência. Mas hoje quero falar mais sobre a natureza política do tempo; pois se o tempo tivesse uma corrida, seria branco. As pessoas brancas têm tempo.

Lembre-se, essas pessoas estão ensinando seus filhos e nossos futuros líderes!