quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Astrofísicos capturaram um sinal do espaço sideral enviado 7 bilhões de anos atrás

Usando o telescópio MAGIC, os cientistas da Fermi-LAT foram capazes de registrar a explosão de raios gama, cuja fonte é incrivelmente distante do nosso planeta, o sinal chegou à Terra agora e foi enviado sete bilhões de anos atrás. anos em que o sistema solar não existia e todo o universo tinha metade da idade atual do que é hoje.


Os cientistas determinaram que o sinal vem do blazar QSO, chamado B0218 + 357, a fonte mais distante de radiação gama de alta energia conhecida hoje em dia pela ciência. Os 'blazares' são um dos fenômenos energeticamente mais poderosos do Universo. 

Eles combinam quasares (núcleos ativos de galáxias distantes, presumivelmente um buraco negro supermassivo) e este Lacertae BL (fontes de radiação eletromagnética nos núcleos de algumas galáxias, caracterizados por alta variabilidade de brilho e espectro contínuo em todas as faixas de radiação). eletromagnético)

A energia alcançada pelos fótons da Terra é estimada por especialistas em 65-175 GeV. Antes de chegar ao planeta, a radiação foi rejeitada pelas chamadas "lentes gravitacionais", nas quais a qualidade era obtida com um poderoso campo gravitacional da galáxia B0218 + 357G.

Segundo especialistas, os fótons gama, com vista para o lado da galáxia "perto de nós", atingiram o solo 11 dias antes, porque parecia necessário fazer um caminho um pouco menor. Isso permitiu aos cientistas calcular com mais precisão a distância do blazar e garantir que fosse um recorde. Aparentemente, é bastante surpreendente o fato de que a radiação de um objeto tão distante foi capaz de alcançar o solo.

Fontes poderosas de radiação eletromagnética, localizadas no espaço profundo, representam um assunto importante do estudo da astronomia extragalática, que é o campo que estuda objetos fora da galáxia.

Artigo científico publicado na revista Astronomy & Astrophysics