domingo, 17 de novembro de 2019

Putin alerta: "O dólar entrará em colapso"

O presidente Putin prevê o fim iminente do dólar como moeda de reserva mundial. Lá ele não é o primeiro nem o último. Mas o que vem depois?

O presidente russo, Vladimir Putin, resumiu as realidades geopolíticas em apenas cinco palavras: "O dólar entrará em colapso".

Primeiro, ele explicou o status quo: "O dólar desfrutou de grande confiança em todo o mundo. Mas, por alguma razão, agora está sendo usado como arma política para impor restrições".

Putin explicou as consequências: "Muitos países estão agora se afastando do dólar como moeda de reserva". E o que finalmente acontece: "O dólar americano entrará em colapso em breve".

Bem, desde o século XV, o mundo já viu seis principais moedas em escala global. Portugal, Espanha, Holanda, França, Reino Unido e agora os EUA dominam as finanças do mundo desde então. Mas mesmo o dólar dos EUA, que domina eventos há cerca de 100 anos, não poderá fazer isso por muito mais tempo.

Mas a questão que finalmente se coloca é: O que vem a seguir? É difícil acreditar que o euro ou o yuan chinês assumam esse papel. Pelo contrário, parece que uma "moeda criptográfica" digital global provavelmente assumirá esse papel. Avanços correspondentes nessa direção já foram feitos.

Obviamente, Putin não é o primeiro (e não o último) a sugerir o fim do dólar. O ex-economista-chefe do Banco Mundial quer substituir o dólar americano por uma única super moeda global e, assim, criar um sistema financeiro global mais estável:

"O domínio do dólar é a razão da crise financeira e econômica global", disse Justin Yifu Lin ao Bruegel, um think tank com sede em Bruxelas para pesquisa de políticas. "A solução é substituir a moeda nacional por uma moeda global".

Warren Buffett disse uma vez: "Por 240 anos, foi um erro terrível apostar contra os Estados Unidos e agora não é o momento de começar.