quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

E com o tempo você aprende a desaparecer de onde não te apreciam

Às vezes nós não percebem ou não querem perceber que a nossa presença em um lugar não é valorizado, mas em vez disso, resultando em desconforto e continuar freqüentando um lugar ou algumas pessoas continuam nos dando e tentando ignorar os sinais Eles nos convidam a não retornar.


Felizmente, o tempo é um especialista em trazer as verdades à luz e em abrir os olhos daqueles que foram negados a ver uma realidade. Pode ser que ao fazê-lo algo quebre, mas certamente isso será muito mais fácil de reparar do que o dano constante de estar presente onde você não é valorizado.

Ninguém é obrigado a amar o outro, fazer o quarto em sua vida, para recebê-lo em boa forma em sua vida, mas certamente se nós percebemos que não são apreciados em um local físico ou emocional, o nosso dever é para se aposentar com dignidade e não expor a situações que levam a menos.

Às vezes nos apegamos a lugares ou pessoas que não são para nós, que não são para nós, mas na nossa ânsia de querer pertencer ou dar o que temos salvo, podemos ignorar os sinais ou eventos que nos dizem para separar, que nos convidam para nos localizarmos em lugares onde a nossa presença representa um gosto por aqueles que a têm por perto, que podemos ter relações recíprocas e que a nossa ausência gera desconforto e não prazer.

Devemos aprender a amar a nós mesmos, reforçando crenças positivas, entendendo que nós merecemos por nossas vidas o melhor e que, se estamos dispostos a nos dar algo a acrescentar e apreciar a presença daqueles que amamos em nossas vidas, isso deve representar o limite menor do que o que aceitamos dos outros.

A vida é muito curta para perdermos tempo plantando flores em jardins que não se importam para eles , temos de aceitar quando paramos de investir nossas energias e recursos em um recipiente que não quer para receber qualquer coisa de nós, que o melhor presente que você espera é nossa ausência.

Devemos ter cuidado com aqueles que simulam carinho e interesse apenas quando lhes convier e, uma vez atendidas suas necessidades, adotam a atitude de desvalorização que os caracteriza. Nenhum de nós merece ser usado, rejeitado, desvalorizado, mas evitá-lo não é responsabilidade do tipper, mas de cada um de nós se ele permitir.

Só escolhemos o que entra na nossa vida, só decidimos onde estar, só permitimos que algo nos afete ... Da mesma forma, só somos capazes de tomar as medidas necessárias para garantir que o lugar onde estamos corresponde ao que que merecemos e combinamos com o nosso bem-estar.