sábado, 2 de março de 2019

Papa Francisco admite que as freiras eram usadas como "escravas sexuais" pelos padres e bispos

Em uma revelação chocante, o Papa Francisco admitiu que padres e bispos abusavam sexualmente de freiras e até os usavam como “escravas sexuais”.

Pela primeira vez, o papa reconheceu publicamente que o clero católico abusava sexualmente de freiras e até revelou um caso em que eles foram reduzidos à "escravidão sexual". Ele acrescentou que também acreditava que o abuso sexual ainda estava ocorrendo.

The Express relata: A notícia foi divulgada quando o papa embarcou em seu avião, que retornava a Roma dos Emirados Árabes Unidos.

Embarcando na aeronave, ele disse aos repórteres: “Não é que todos façam isso, mas houve padres e bispos que o fizeram.

“E acho que continua, porque não é como uma vez que você percebe que isso pára.

"Continua. E há algum tempo estamos trabalhando nisso.

"Mas é um caminho que já começamos."

Em uma pergunta sobre se havia uma abordagem universal sendo formulada para lidar com o abuso de mulheres na igreja, o Papa sugeriu que os incidentes estão sendo tratados caso a caso.

Ele disse: “Há casos, geralmente em novas congregações e em algumas regiões mais do que outras.

"Estamos trabalhando nisso."

Em novembro, a organização global da Igreja Católica para freiras denunciou a “cultura do silêncio e do sigilo” que os impede de falar.

Durante a turnê histórica do pontífice no Oriente Médio, ele também admitiu que a Igreja tinha um problema com “ver as mulheres como segunda classe”.

O Papa Francisco disse: “O Papa Bento XVI teve a coragem de dissolver uma congregação feminina que estava em certo nível, porque essa escravidão de mulheres havia entrado nela - escravidão, até mesmo ao ponto de escravidão sexual - por parte dos clérigos ou do fundador. "

"É um caminho em que estivemos."

A congregação feminina dissolvida em 2005 sob o papa Bento XVI foi a Comunidade de St Jean, com sede na França.

Em 2013, a comunidade de São João admitiu que os padres haviam se comportado "de maneiras que iam contra a castidade" com várias mulheres na ordem, de acordo com o jornal católico francês La Croix.

Casos semelhantes também foram relatados na Índia, onde um bispo foi preso no ano passado por alegações de ter estuprado uma freira 13 vezes entre 2014 e 2016.

No Chile, relatos de abuso de freiras realizados por padres levaram o Vaticano a iniciar uma investigação no ano passado.