terça-feira, 24 de setembro de 2019

ÁFRICA DO SUL: NOVO TRATAMENTO GENÉTICO PODE PERMITIR QUE PAIS NEGROS TENHAM FILHOS BRANCOS

Uma equipe de geneticistas sul-africanos desenvolveu o que eles chamam de “soro de correção genética” que poderia permitir que pais negros tivessem filhos brancos.


Cientistas do Departamento de Genética da Universidade Stellenbosch anunciaram uma grande descoberta sobre genética humana: uma solução bioquímica que permite alterar características hereditárias de pessoas de ascendência africana para permitir que tenham filhos caucasianos.

Os geneticistas que trabalham sob a direção do professor Hans Engelbrecht afirmam que seu soro de correção genética (GCS) mostrou uma eficiência de 97,8% durante os testes de laboratório, com apenas efeitos colaterais menores, como náusea, queda de cabelo e problemas eréteis.

Segundo o professor Engelbrecht, o soro deve ser aprovado pela Autoridade Reguladora dos Produtos de Saúde da África do Sul em breve e poderá estar disponível ao público dentro de um ano para ajudar a resolver o problema racial do país.

“Há um grande problema há anos na África do Sul que a população branca é muito mais rica e educada do que a população negra. Finalmente encontramos uma solução definitiva, podemos deixar todos brancos e felizes! ”
O renomado geneticista afirma que esse "soro milagroso" pode ser o primeiro de uma série de novos tratamentos projetados para modificar os genes hereditários transmitidos pelos pais aos filhos.

“Essa foi claramente a correção genética mais urgente que precisava ser desenvolvida, mas é apenas o primeiro passo. Um dia, podemos criar outros soros para pessoas com cabelos ruivos ou até pênis ou seios pequenos. ”

Mais de 800 casais de ascendência africana participaram de estudos clínicos que mostraram uma taxa de sucesso de quase 98%.

O anúncio da descoberta gerou muitas reações em todo o país e em todo o mundo.

Enquanto alguns receberam com entusiasmo as notícias como uma solução definitiva para as desigualdades e os problemas raciais do mundo, outros ficaram chocados e indignados, denunciando uma “abordagem eugênica da genética”, bem como alegadas “intenções genocidas” por trás do soro do desenvolvimento.

Várias organizações sul-africanas de direitos civis anunciaram suas intenções de fazer tudo o que estiver ao seu alcance para mudar as leis do país, a fim de tornar o soro ilegal no país e proibir mais pesquisas no domínio.