quinta-feira, 12 de setembro de 2019

Cientistas planejam abrir 'um portal para o mundo paralelo' em um experimento

Leah Broussard, física do Laboratório Nacional de Oak Ridge, no Tennessee, Estados Unidos, está se preparando para demonstrar a existência de um mundo paralelo .

É um universo composto de matéria escura, semelhante ao nosso mundo. Esse tipo de matéria escura corresponde a 85% do universo e só pode ser observado através de sua influência gravitacional.

Como seria esse mundo paralelo?

De acordo com um estudo de 2017 publicado por uma equipe de cientistas liderada por Broussard:

"Ele se manifesta como uma cópia perfeita das partículas e interações do Modelo Padrão de tal forma que a paridade e a inversão do tempo são simetrias exatas, e interage muito fracamente com o nosso universo conhecido, principalmente gravitacionalmente".

O cientista acredita que essa matéria escura possa ser detectada se um feixe de partículas subatômicas aceleradas por um ímã atingir uma parede impenetrável. Se a teoria da matéria-espelho estiver correta, algumas partículas se tornarão imagens de espelho de si mesmas, continuando o movimento atrás da barreira.

"É um experimento bastante simples que improvisamos com peças que encontramos por aí, usando o equipamento e os recursos que já tínhamos disponíveis em Oak Ridge".

É um experimento simples e muitos se referem a ele como uma tentativa de abrir um portal para um mundo paralelo. Apesar disso, segundo o cientista, poderia refutar a visão de mundo que a física convencional criou. O jogo, descobrindo algo assim, mudaria completamente.

Ele não acredita que a vida inteligente possa ser encontrada nesse universo espelho , mas afirma que não é menos complexo que o nosso mundo:

"É improvável que haja pessoas na matéria escura (...), mas é muito provável que a matéria escura seja tão rica quanto a nossa."

Fonte: actuality.rt.com