segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Novo estudo revela que vegetarianismo e veganismo podem levar a maior risco de AVC

Comedores de carne, no entanto, ainda têm um risco maior de doenças cardíacas

Se você estava pensando em comer carne por motivos de saúde, talvez não jogue fora o hambúrguer com bacon ainda. Pelo menos não se tudo o que você está tentando impedir é um derrame. 

Um relatório de pesquisadores de Oxford publicado no British Medical Journal descobriu que das quase 50.000 pessoas estudadas, vegetarianos e veganos tiveram uma taxa de AVC 20% maior que os comedores de carne.

Quem conduziu este estudo?

Este estudo revisado por pares foi escrito por uma equipe liderada por Tammy Tong, epidemiologista nutricional da Universidade de Oxford.

O que o estudo disse?

O estudo analisou 48.188 pessoas, 51% das quais (24.428) comiam carne, 16% eram pescadores (7.506) e os 34% restantes (16.254) eram vegetarianos ou veganos (as porcentagens são arredondadas).

Enquanto o estudo constatou que pescadores e vegetarianos tiveram um risco menor de doença isquêmica do coração (13% para pescadores e 22% para vegetarianos). No entanto, "os vegetarianos tiveram taxas 20% mais altas de derrame total ... do que comedores de carne, o equivalente a mais três casos de derrame total ... por 1.000 habitantes em 10 anos, principalmente devido a uma maior taxa de derrame hemorrágico". Comparativamente, os vegetarianos tiveram 10 casos a menos de doenças cardíacas no mesmo tamanho de grupo e período de tempo.

Tong disse à CNN que, embora não esteja claro o que causou esse aumento no risco de derrame, ele pode ser causado por "níveis muito baixos de colesterol ou níveis muito baixos de alguns nutrientes". Embora ainda apresentem um risco menor de doenças cardíacas do que os que comem carne, os pescadores não tiveram o risco aumentado de derrame que os vegetarianos exibiram.

Ela também enfatizou à revista Time que ainda parecia haver benefícios para o vegetarianismo, já que "[o] menor risco de doença cardíaca parece compensar o maior risco de derrame".