domingo, 3 de novembro de 2019

Comunismo: Eles destroem a igreja durante o culto na China e os pastores são presos

As autoridades comunistas chinesas destruíram uma imensa igreja com capacidade para 3 mil pessoas , usando uma grande escavadeira enquanto fiéis e cidadãos assistiam à demolição em desespero.

Os fiéis estavam no culto quando a demolição começou . Esse tipo de ação e intimidação é comum na China , mas o que torna essa destruição diferente é que a igreja estava prestando um serviço quando chegaram equipamentos para destruir o edifício , de acordo com a China Aid.

O grande edifício tinha uma torre e uma cruz, estava localizado na província de Anhui, que fica na parte leste do país e tem cerca de 60 milhões de habitantes e onde recentementeO pastor foi preso por se recusar a remover a cruz da fachada da igreja.

A congregação fazia parte da rede oficialmente reconhecida de igrejas na China . As autoridades comunistas careciam de documentação legal adequada para ordenar a destruição, disse a China Aid, que monitora a perseguição religiosa no país.

"Este é outro exemplo claro que mostra a escalada da perseguição religiosa hoje pelo regime comunista chinês ", disse Bob Fu, presidente da China Aid.

"O total desrespeito pela proteção da liberdade religiosa, consagrado na constituição do próprio Partido ComunistaEle diz a todos que o presidente [chinês] Xi está determinado a continuar sua guerra contra os crentes cristãos pacíficos. Esta campanha certamente falhará no final ”, afirmou.

As autoridades também detiveram os pastores da igreja Geng Yimin e Sun Yongyao por suspeita de "reunir uma multidão para perturbar a ordem social", disse a China Aid.

No passado, oficiais comunistas editaram os sermões , forçaram a retirada de cruzes e proibiram as escolas dominicais para crianças . A lei proíbe a conversão de menores.

O vídeo a seguir mostra a escavadeira que separa o edifício quando as peças de concreto caem em uma pilha de detritos no chão.

A falta de liberdade religiosa é uma das razões pelas quais  milhões de cristãos foram à clandestinidade para adorar em igrejas domésticas ilegais.