domingo, 17 de novembro de 2019

Governo comunista chinês proíbe batismos para impedir o avanço do cristianismo

As autoridades da província chinesa de Zhejiang proibiram o batismo e introduziram um novo conjunto de medidas para as igrejas cristãs autorizadas pelo governo comunista.


Isso inclui deixar informações com o número de participantes da igreja, horários de serviço, tipos de atividades e localização, que estarão sob o controle dos oficiais.

A China também proibiu mudanças de residência, crescimento da igreja, ajuste dos horários de culto e entrega de presentes. Outros itens proibidos incluem uma conta bancária individual da igreja, recebendo doações de outros países e batismo .

As igrejas também devem terEquipe de supervisão , cronogramas de atividades, normas de segurança e equipamentos de combate a incêndio.

Os diretores das comunidades locais supervisionarão a implementação desses regulamentos.

Isso ocorre depois que o governo chinês implementou uma versão revisada do Regulamento de Assuntos Religiosos no ano passado. Desde então, as igrejas estão sob crescente escrutínio.

A China acredita que essas medidas manterão as igrejas sob controle do governo e impedirão que autoridades estrangeiras usem a religião para derrubar o regime comunista.

No entanto, nenhum governo usou a religião para tentar deslocar o Partido Comunista, diz a China Aid, uma agência de defesa cristã no país.