sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Eminem exige 'controle de armas'; e exorta os fãs a minar a segunda emenda

O rapper que odeia Trump, Eminem, agora está promovendo uma reforma extrema no controle de armas em sua nova música "Darkness", tirada de seu 11º álbum, 'Music to Be Murdered By'.

Na música, Eminem pede aos fãs que se registrem para votar nos candidatos que minarão a Segunda Emenda.



A música conta a história de um solitário em uma onda de disparos, enquanto outra música, "Incomodador", provocou protestos por sua referência ao atentado a bomba em 2017 em um show da Ariana Grande em Manchester, Reino Unido, que deixou 22 pessoas mortas.

O Yahoo News informa: "Mas estou pensando em gritar 'bombas' no jogo como se estivesse fora de um show da Ariana Grande esperando", o artista de 47 anos, nascido em Marshall Mathers, bate na pista.

A letra foi recebida com desprezo nas mídias sociais, com alguns usuários a apelidando de "nojento" e "lixo".

O novo álbum, chamado “Music to be Murdered by”, apresenta participações do falecido rapper Juice WRLD, junto com Q-Tip, Ed Sheeran, Anderson .Paak e o cantor colaborador regular Skylar Gray.

Dr. Dre é creditado como produtor.

Eminem lançou seu último álbum "Kamikaze" em 2018 de uma maneira repentina semelhante. Esse álbum incluiu vários ataques ao presidente Donald Trump.

O rapper também divulgou na sexta-feira um vídeo de "Darkness", que apresentava áudio e filmagens do tiroteio em massa de 2017 em Las Vegas, o mais mortal massacre de armas dos EUA realizado por um indivíduo na história moderna.

Ele termina pedindo aos espectadores que se registrem para votar: "Faça sua voz ser ouvida e ajude a mudar as leis sobre armas nos Estados Unidos", diz o texto final.
Loading...