segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

''Quem cometer suicídio perderá a salvação", diz pastora evangélica

Sarah Sheeva, uma pastora conhecida por suas declarações controversas e extravagantes, comentou a morte do pastor Jarrid Wilson em sua conta no Instagram e declarou que desistir da vida, um presente divino, é uma rebelião contra o Criador.

O debate sobre o assunto se intensificou no ambiente cristão, porque  o suicídio de Jarrid Wilson  ocorreu durante a campanha de prevenção do Amarelo Amarelo, e principalmente porque o caso do pastor é um de uma série de líderes evangélicos que atacaram sua própria vida.



Uma citação de Wilson, que se dedicou a ajudar pessoas com depressão e preconceito a tirar suas próprias vidas com a ONG Anthem of Hope, foi o centro do comentário de Sheeva nas mídias sociais. O pastor disse uma vez que "amar Jesus nem sempre cura pensamentos suicidas".

O pastor, criador do Princess Cult, discordou de Wilson, que atuou como pastor assistente na mega igreja da Harvest Christian Fellowship na Califórnia. “Amar a Jesus cura pensamentos suicidas, sim. Amar a Jesus cura a depressão. Amar a Jesus cura a ansiedade. Você sabe por que você se cura? Porque quando você ama Jesus Cristo mais do que você, você o coloca antes da sua vontade e, portanto, nunca desiste da vida ”, escreveu ele.

“Renunciar à vida é antes um ato de grande rebelião contra a vontade de Deus e contra o dom da vida. ... Dizer que você ama a Jesus e tira a sua vida é mentir para si mesmo. (...) O suicídio leva ao inferno, sim. Não perca sua salvação por rebelião ”, acrescentou.



De acordo com a  linha de interpretação teológica de  Sarah Sheeva, Deus não perdoa suicídios: “Não acredite nesta mentira de que Deus perdoa suicídio. O suicídio é um pecado muito sério. ... Exceto no caso de possessão demoníaca e posse de um espírito humano satanista, onde alguém está fora da consciência, quem comete suicídio perde a salvação. Diga a verdade para as pessoas. o céu é real, mas o inferno também ”, concluiu.
Loading...