segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Xi Jinping quer destruir a religião e ser o deus da China

A China estabeleceu novas restrições para atividades religiosas, chamadas “Medidas de controle para grupos religiosos”, o documento possui 41 novas regras que abordam vários pontos, desde rituais até a seleção de líderes e reuniões anuais, contratação de funcionários e administração fundos.

Aqueles que seguem assuntos relacionados à Igreja Perseguida sabem que a China está entre os países que mais perseguem os cristãos e outras crenças religiosas.



Dirigida pelo Partido Comunista da China (PCC), várias medidas políticas foram tomadas para colocar o partido e o presidente, Xi Jinping, como "deuses", anulando a liberdade religiosa.

Enquanto as igrejas cristãs estão sendo demolidas, os muçulmanos são levados para campos de concentração para aprender a adorar o PCCh. Os mais pobres, que recebem ajuda financeira do governo, são obrigados a levar símbolos religiosos de destaque em suas casas e a colocar a foto do presidente.

Com as novas regras, é proibido, por exemplo, organizar um estudo da Bíblia, e mesmo a versão da Bíblia usada em igrejas autorizadas deve ser a versão aprovada pelo Partido que mistura as Escrituras Sagradas com citações de Confúcio e do presidente. Xi Jinping.

Segundo o New York Post, as "Medidas de Controle" fazem parte da Nova Revolução Cultural de Xi Jinping, cujo objetivo é eliminar todos os grupos religiosos que o Partido Comunista não pode cooptar e controlar.

"Um grupo religioso não pode realizar nenhuma atividade", alerta as novas regras, "sem se registrar no Escritório de Assuntos Civis e sem a aprovação do Escritório de Assuntos Religiosos do governo popular".

As novas regras exigem que todos os "grupos religiosos" "disseminem os princípios e políticas do Partido Comunista Chinês, juntamente com as leis e regulamentos nacionais, a todos os seus empregados e seguidores religiosos" e "educem e orientem todos os funcionários e seguidores religiosos . abraçar a liderança do Partido Comunista Chinês, abraçar o sistema socialista, defender o caminho do "socialismo com características chinesas". . . e manter a política geral de sinicização da religião ".

Igrejas que não são controladas pelo governo e até mesmo o Falun Gong são consideradas grupos cultos heréticos e seus líderes e membros são perseguidos e encarcerados.

Outros grupos serão forçados a ingressar em organizações religiosas que já são controladas pelo Partido Comunista.
Loading...