domingo, 8 de março de 2020

Arcebispo diz que a Igreja da Inglaterra é 'profundamente institucionalmente racista'

O arcebispo de Canterbury admitiu que a Igreja da Inglaterra ainda permanece "profundamente institucionalmente racista".

Expressando sua tristeza e vergonha, o Arcebispo insistiu que a Igreja deveria mudar seu “ambiente hostil” para minorias étnicas e negras desde que a geração Windrush chegou ao Reino Unido. Ele disse que estava "quase além das palavras" depois de ouvir sobre o racismo enfrentado pelos paroquianos minoritários, padres e funcionários da igreja.



A geração Windrush são os cidadãos da comunidade que chegaram ao Reino Unido entre 1948 e 1971 de países do Caribe.

RT relatórios: Em um discurso contundente na terça-feira, Justin Welby, que é da Inglaterra bispo mais antigo e principal líder da Igreja da Inglaterra - uma igreja cristã - afirmava que tinha falhado ao longo de muitas décadas sobre a questão da igualdade racial.

A intervenção de Welby ocorreu quando o Sínodo Geral votou a favor de uma moção para “lamentar” e pedir desculpas pelo racismo consciente e inconsciente em relação às minorias étnicas e negras desde a chegada da geração Windrush no Reino Unido entre o final da década de 1940 e 1970.

Welby disse à assembléia nacional da igreja que não há dúvida de que a Igreja "ainda era profundamente institucionalmente racista" e se abriu sobre sua própria vergonha pessoal.

Pessoalmente, sinto muito e tenho vergonha. Tenho vergonha da nossa história e tenho vergonha do nosso fracasso.

O bispo sênior também pareceu sugerir que a Igreja da Inglaterra se tornara suscetível ao “ambiente hostil” do governo do Reino Unido, por não proporcionar um espaço acolhedor para as minorias. 

Welby pediu um progresso "radical e decisivo" na questão para acabar com o flagelo do racismo institucional; caso contrário, "continuaremos tendo essa conversa daqui a 20 anos e ainda fazendo injustiça - os poucos de nós que permanecemos, merecidamente".
Loading...